Perseguição hoje: Novo assassinato de cristãos na Nigéria

Extremistas muçulmanos matam 16 cristãos que liam a Bíblia

ROMA, 07 Ago. 12 (ACI) .- Uma nova ofensiva de extremistas muçulmanos contra cristãos volta a tingir de sangue uma igreja na Nigéria, onde ao menos 16 pessoas foram assassinadas enquanto liam a Bíblia na localidade de Otite, no estado federal de Kogi, na região central do país.

Uma dezena de homens armados, a bordo de uma caminhonete irromperam na Igreja Deeper Life Bible na tarde de 6 de agosto. Deixaram o edifício às escuras e blindaram a saída para disparar contra os cristãos que nesse momento estavam na metade da leitura do Evangelho, uma atividade que desenvolviam todas as segundas-feiras.

Às portas da igreja, os assaltantes se organizaram em barricada para evitar que os cristãos fugissem.

Conforme informou Agi Yushau Shuaib, porta-voz da Agência Nacional para a Gestão das Emergências (SELO por suas siglas em inglês), um grande número de cristão foram feridos entre os viandantes e estudantes de uma escola próxima, que por duração de vinte minutos, viram-se surpreendidos pelos disparos.

O jornal italiano Avvenire assinala que, embora nenhum grupo assumiu a autoria do crime, atrás do atentado estaria o grupo fundamentalista islâmico Boko Haram, relacionado com o Al Qaeda, e causador da morte de pelo menos 800 pessoas este ano, entre elas 150 cristãos.

Por sua parte, o chefe de estado nigeriano, o cristão Goodluck Jonathan, condenou os fatos e rechaçou firmemente a petição do líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, que através de um vídeo publicado no Youtube, exigiu do mandatário abandonar o poder, arrepender-se, e renunciar ao cristianismo.

O porta-voz do governador, Ruben Abati, explicou que “Jonathan é líder de muçulmanos e cristãos”, e certamente, um indivíduo ou grupo de pessoas não o obrigará a demitir.

O último episódio de violência reivindicado pelo Boko Haram, remonta-se ao domingo passado, no qual oito pessoas –seis soldados e dois civis–, morreram quando um carro bomba colidiu contra uma patrulha de militares em Damaturu, capital do estado de Yobe, ao norte do país.

Neste mesmo dia, no extremo nordeste do país, em Maiduguri, capital do estado de Borno, outros dois homens assassinados, um comando armado matou um policial e um oficial empregado de imigração.

Anúncios

Perseguição hoje: por quanto tempo ainda o mundo continuará a ignorar os massacres de cristãos na Nigéria?

Nigéria: 90 mortos em novo massacre de cristãos
Assassinado também um senador cristão

ROMA, segunda-feira, 9 de julho de 2012 (ZENIT.org) – A violência não para na Nigéria. Desta vez, no estado de Plateau, foram encontrados cinquenta cadáveres queimados em uma igreja. Durante os funerais das vítimas, acabou sendo assassinado também um político cristão.

Homens armados atacaram neste fim de semana diversos povoados cristãos perto da cidade de Jos. De acordo com informações da agência Nova China, as vítimas são pelo menos noventa. A agência informa ainda que os cinquenta cadáveres carbonizados foram achados em uma igreja da aldeia de Matsai, e que durante a tarde de sábado, enquanto a cidade de Jos realizava o funeral conjunto das vítimas, um grupo armado abriu fogo matando vinte pessoas.

A BBC acrescenta que, no mesmo sábado, houve diversos ataques de grupos armados contra várias aldeias cristãs. A imprensa local cita as aldeias de Kakuruk, Kuzen, Ngyo, Kogoduk, Ruk, Dogo, Kufang, Kpapkpiduk e Kai.

O jornal Herald Tribune, citando o porta-voz do governador do estado, divulgou que entre os mortos estão o senador do estado de Plateau, Gyang Dantong, e o líder da maioria parlamentar do estado, Gyang Fulani.

As autoridades acusam os pastores da tribo fulani, de religião muçulmana. Os representantes da comunidade, porém, citados pela imprensa local, negam a acusação e afirmam que foram os militares nigerianos que atacaram os membros da tribo.

Jonah Jang, governador do estado de Plateau, decretou toque de recolher noturno em quatro regiões. O presidente da Nigéria, David Mark, definiu o ataque como assassinato, afirmando: “Como nação, nós temos que nos levantar contra aqueles que querem nos fazer voltar ao estado selvagem, no qual a vida não tinha valor”.

Perseguição hoje: Como a mídia encobre a perseguição aos cristãos pelos muçulmanos

ESCRITO POR RAYMOND IBRAHIM | 05 JULHO 2012
MEDIA WATCH 

Quando se trata da perseguição dos cristãos pelos muçulmanos, os principais meios de comunicação apresentam um longo histórico de obscurecimento da realidade. Embora possam finalmente apresentar os dados reais – se é que chegam a relatar a história, o que é raro – eles o fazem após criarem e sustentarem uma aura de relativismo moral que minimiza o papel desempenhado pelos muçulmanos.

Falsa equivalência moral
Uma das maneiras mais óbvias é evocar a “disputa sectária” entre muçulmanos e cristãos, frase que apresenta a imagem de dois adversários igualmente competitivos – e igualmente abusados e abusivos – lutando um contra o outro. Isso dificilmente corresponde à realidade das maiorias muçulmanas perseguindo os cristãos passivos amplamente minoritários.

Recentemente, por exemplo, no contexto do bem documentado sofrimento dos cristãos no Egito, um repórter da NPR declarou: “No Egito, tensões crescentes entre muçulmanos e cristãos têm levado a casos de violência esporádica [iniciados por quem?]. Muitos egípcios atribuem as disputas inter-religiosas a vândalos [quem?], que se aproveitam da ausência ou da fraqueza das forças de segurança. Outros crêem que os atos de violência são devidos a uma desconfiança profundamente sedimentada entre os muçulmanos e a comunidade minoritária cristã [como foi que essa “desconfiança” teve origem?]”. Embora a reportagem tenha dado ênfase aos casos nos quais os cristãos foram vitimizados, todo o seu tom – já a partir do título: “No Egito, Aumenta a Tensão entre Cristãos e Muçulmanos” – sugere que também poderiam facilmente ser encontrados exemplos de muçulmanos vitimizados por cristãos [o que não é verdade]. A foto que acompanha o artigo é de um grupo de Leia mais deste post

Perseguição hoje – Vietnã: autoridades impedem celebração de missa


Diocese pede respeito pela liberdade religiosa e pela legislação

ROMA, terça-feira, 3 de julho de 2012 (ZENIT.org) – Em vários domingos do último mês de junho, grupos mobilizados pelas autoridades locais impediram a celebração da missa dominical na capela católica de Con Cuông, distrito da província de Nghê An, na diocese vietnamita de Vinh.

Um artigo publicado em 28 de junho no site da diocese informa sobre os fatos e apela às autoridades pedindo respeito pela liberdade religiosa e pela legislação.

O contencioso entre a comunidade católica do distrito de Con Cuông e o poder local vem se arrastando há sete meses. A primeira agressão aconteceu em 13 de novembro de 2011, quando as autoridades do distrito mobilizaram uma tropa de agentes da segurança e de milicianos, num total de 300 pessoas. Equipados com sirenes e tambores, os perturbadores invadiram aos gritos a capela em que era celebrada a missa. A confusão foi tanta que os dois sacerdotes celebrantes tiveram que interromper a celebração.

Quinze dias mais tarde, uma bomba de fabricação caseira explodiu à noite na porta da capela, causando sérios estragos. Interrogados sobre os dois incidentes, os poderes públicos declararam ignorá-los totalmente. Uma investigação feita pelo governo da província não deu nenhum resultado. Pouco depois do segundo incidente, o bispo de Vinh protestou no site da diocese, denunciando as ações que Leia mais deste post

Perseguição hoje: A prisão de George Clooney, a omissão criminosa da imprensa e a cristofobia

A imprensa ocidental corre o risco de morrer de inanição moral — já que não morrerá de vergonha. A prisão do ator George Clooney (já está solto), que fazia um protesto em frente à embaixada do Sudão, em Washington, chama a atenção para a dramática situação daquele país, sim, e isso não deixa de ser positivo. Mas só uma parte da história está sendo contada sobre o país — e o principal está sendo omitido.

Quem pratica os assassinatos em massa no país são milícias islâmicas a serviço do ditador Omar al-Bashir. E os mortos, atenção!, são cristãos!

Na edição de 13 de fevereiro, a Newsweek trouxe uma reportagem da somali Ayann Hirsl Ali, que teve de fugir do seu país, intitulada “O crescimento da cristofobia”. O texto (íntegra aqui) evidencia as perseguições que sofrem os cristãos no mundo inteiro. Há um trecho dedicado ao Sudão:

“O governo autoritário, sunita, do Norte do país há décadas persegue cristãos e minorias animistas do Sul. O que é habitualmente descrito como uma guerra civil é, na prática, perseguição promovida pelo governo sudanês às minorais religiosas. Essa perseguição culminou com o infame genocídio de Darfur, que começou em 2003. Ainda que o presidente Omar al-Bahsir tenha sido indiciado pelo Tribunal Penal Internacional de Haia, que tem contra ele três acusações de genocídio — e apesar da euforia com a semi-independência que ele garantiu em julho do ano passado ao Sudão do Sul —, a violência continua. No [estado] de Kordofan do Sul, cristãos ainda são alvos de bombardeios aéreos, assassinatos seletivos, sequestros de crianças e outras atrocidades. Relatórios da ONU indicam que entre 53 mil e 75 mil civis inocentes foram expulsos de seus lares; casas e edifícios foram incendiados”.

Ainda voltarei a esse tema. Cristãos morrem como moscas hoje em dia em vários cantos do planeta.  Os mortos de Darfur passam de 400 mil — eu escrevi 400 mil!!! Estima-se que possam morrer outras 250 mil. Atenção! É por perseguição religiosa! Não é só ali, não! O glorificado Egito da “revolução democrática” assiste a massacres Leia mais deste post

Perseguição hoje: Jovem cristã assassinada por muçulmano

Muçulmano assassina jovem cristã por recusar converter-se ao Islã e casar-se com ele.

ROMA, 05 Dez. 11 (ACI/EWTN Noticias) .- Um muçulmano no Paquistão assassinou uma adolescente cristã de 18 anos que ele havia seqüestrado para casar-se com ela porque a moça rechaçou abraçar a fé islâmica e converter-se em sua esposa à força.

Conforme informa a agência vaticana Fides, o Pe. Zafal Iqbal, pároco de Khushpur, onde vive a família de Mariah, a moça de 18 anos, ela “resistiu, não queria converter-se ao Islã e não se casou com o homem, que por esta razão a matou. É uma mártir”.

O sacerdote disse à Fides que informou destes fatos a Comissão “Justiça e Paz” e o Bispo de Faisalabad, Dom Joseph Coutts.

“O culpado foi preso e a polícia está investigando. Esperamos que se faça justiça, enquanto, a comunidade está triste e aborrecida”, disse o sacerdote e acrescentou que “casos como este ocorrem diariamente em Punjab”.

Por sua parte o vigário de Faisalabad, Pe. Khalid Rashid Asi, comentou que “é muito triste, os cristãos, freqüentemente as meninas, são vítimas indefesas”.

Fides informa além que por volta da data outro caso de perseguição religiosa contra cristãos foi Leia mais deste post

Perseguição hoje: Presa Missionária da caridade no Sri Lanka

Sri Lanka: é presa uma Missionária da Caridade
Denúncia anônima de suposto tráfico de crianças

ROMA, sexta-feira, 2 de dezembro de 2011 (ZENIT.org) – Após uma denúncia anônima, a superiora de um centro da congregação da Madre Teresa de Calcutá foi presa no Sri Lanka por suposto tráfico de crianças. A notícia foi veiculada por várias agências, como a Eglises d’Asie (EDA, 29 de novembro), das Missões Estrangeiras de Paris.

A irmã Mary Eliza, superiora de uma casa para crianças e mães solteiras administrada pelas Missionárias da Caridade (MC), conhecidas como as “Irmãs da Madre Teresa”, foi presa em 25 de novembro e solta sob fiança no dia 28. AsiaNews (01 de dezembro) informa que a primeira audiência, marcada para ontem, foi adiada para 15 de dezembro.

O juiz Yvonne Fernando, da capital Colombo, aceitou a fiança de 50.000 rúpias, equivalente a cerca de 1.700 reais, e autorizou a religiosa, de nacionalidade indiana e responsável pelo centro Prem Nivasa, a esperar pela audiência em prisão domiciliar em outro convento. Seu passaporte foi confiscado.

Um telefonema anônimo acusando as irmãs de tráfico de crianças foi a origem da prisão, a primeira de um membro da congregação da Madre Teresa desde a sua fundação. Por ordem da Autoridade Nacional de Proteção à Criança (NCPA), que depende diretamente do presidente Mahinda Rajapaksa, a irmã Mary Eliza foi presa no albergue que as Missionárias da Caridade mantêm na localidade de Moratuwa, poucos quilômetros ao sul de Colombo.

Sem sequer poder contatar um advogado, ela foi levada a um tribunal de Wennappuwa, embora sua instituição esteja sob a jurisdição de Rawathawatta, e lá foi decidida a sua prisão imediata na penitenciária de Welikada. Como denunciado pelo Pe. Sunil De Silva no site da arquidiocese de Colombo, muitas irregularidades marcaram a prisão.

Poucos dias antes, um telefonema anônimo para Leia mais deste post

Perseguição hoje: Conversões forçadas ao islã no Paquistão

Conversões forçadas de mulheres Paquistanesas ao Islã
O presidente da Conferência Episcopal convida para o diálogo inter-religioso

ISLAMABAD, quinta-feira, 10 de novembro de 2011 (ZENIT.org) – Um ano após a sentença de morte de Ásia Bibi – uma mulher cristã acusada de blasfêmia – o presidente da Conferência Episcopal do Paquistão denunciou o crescimento do extremismo islâmico em seu país .Em declaração feita pelo jornal da Santa Sé – L’Osservatore Romano – chamou a atenção de vários casos de conversões forçadas de mulheres ao Islã, relatados por uma ONG.

Enquanto o “extremismo islâmico cresce fortemente nos últimos anos e afeta a vida social e política do país”, “as minorias religiosas do Paquistão enfrentam a discriminação no silêncio do governo e das instituições.” Disse à Fides (07 de novembro) Dom Joseph Coutts, bispo de Faisalabad e presidente da Conferência Episcopal do Paquistão  “(PCBC), marcando o primeiro aniversário da sentença de morte imposta a Asia Bibi, uma mãe cristã injustamente acusada de blasfêmia e condenada pelo tribunal de Sheikupura em 8 de novembro de 2010.

“Um ano depois do trágico veredicto – disse Mons. Coutts – as condições das minorias religiosas não mudaram para melhor, pelo contrário, o país é assolado por graves problemas políticos, econômicos, sociais, morais e religiosos que refletem sobre os cidadãos muçulmanos e não muçulmanos. Em um ano, o país perdeu dois Leia mais deste post

Perseguição hoje: Na Inglaterra, cristão é rebaixado no emprego por declaração contra “casamento” gay

MANCHESTER, Inglaterra, 24 de outubro de 2011 (Notícias Pró-Família) — Um cristão administrador de propriedades na Inglaterra foi rebaixado em seu emprego, sofreu um corte de 22 mil dólares anuais em seu salário e quase foi despedido por fazer um comentário no Facebook de que as igrejas cristãs não deveriam ser forçadas a participar de cerimônias de união de mesmo sexo.

Adrian Smith, de 54 anos, foi declarado, por um consórcio de moradia financiado por impostos, como culpado de “má conduta grave” depois que ele disse, numa linha de comentário no Facebook, que permitir cerimônias de mesmo sexo nas igrejas é “levar a igualdade longe demais”.
Escrevendo em sua própria página de Facebook, que não estava acessível a ninguém mais do que seus amigos de Facebook, Smith havia dado uma resposta a uma notícia da BBC sobre uma nova lei polêmica que permitiria que as igrejas conduzissem cerimônias de mesmo sexo. Indagado se o comentário dele significava que ele não aprovava a lei que havia sido proposta, Smith respondeu: “Não, não realmente. Não compreendo o motivo por que as pessoas que não têm fé e não creem em Cristo quereriam se casar na igreja. A Bíblia é bastante específica que o casamento é para homens e mulheres. Se o Estado quer oferecer casamentos civis para os homossexuais, então cabe ao Estado; mas o Estado não deveria impor suas normas em lugares de fé e consciência”.
O consórcio telefonou para a casa de Smith e o chamou para uma reunião disciplinar depois que outro membro do consórcio se queixou. O Consórcio de Moradia de Trafford (CMT), que administra as casas em Sale, na Grande Manchester, removeu Smith de sua posição administrativa que lhe dava um salário de 56 mil dólares por ano, reempregando-o como um “conselheiro” com um salário de 33.500 dólares.
Com a assistência legal do Instituto Cristão, Smith está processando, dizendo que o consórcio quebrou Leia mais deste post

Perseguição hoje: Sacerdote denuncia perseguição à Igreja na Nicarágua

Nicarágua: sacerdote denuncia perseguição à Igreja
Fala o Pe. Román, descendente do revolucionário Sandino

MANÁGUA, segunda-feira, 24 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – O decano da imprensa nicaraguense, La Prensa de Manágua, recolheu as declarações de um sacerdote, Pe. Edwin Román, sobrinho-neto de Augusto C. Sandino, quem inspirou os sandinistas atualmente no poder, cujo presidente, Daniel Ortega, avança rumo à perpetuação em um cargo que a Constituição não lhe permite.

O sacerdote denuncia ameaças à Igreja Católica e a desvirtuação da mensagem revolucionária do seu antepassado Sandino, lançando o alerta sobre o que considera ser uma ditadura em nascimento. Exige também justiça no misterioso assassinato do sacerdote Marlon Pupiro, ocorrido no último dia 20 de agosto.

A firme atitude do sacerdote Román fez dele alvo de membros do Conselho de Poder Cidadão, que, segundo disse, lhe enviaram mensagens para que baixe o tom das suas homilias, afirmou o jornal La Prensa no dia 16 de outubro.

O presbítero recebeu ligações e mensagens de texto com ameaças e ofensas. Mas declara sentir-se chamado a Leia mais deste post

Perseguição hoje: Menina cristã estuprada durante 8 meses no Paquistão

Lahore (Agência Fides) – Raptada e estuprada repetidamente, durante oito meses, por um bando de militantes islâmicos. Aniquilada e traumatizada, converteu-se e foi forçada ao casamento islâmico. 

A história de Ana (nome fictício), menina cristã de 12 anos de idade, é semelhante às histórias de cerca 700 meninas e jovens cristãs, e de pelo menos 250 jovens hindus, que a cada ano sofrem terríveis violências e abusos no Paquistão. Os muçulmanos, contam fontes de Fides em Punjab empenhadas em lhes prestar assistência, “as consideram objeto, mercadoria, e as tratam como animais”.

Há uma forte indignação na comunidade cristã do Paquistão, depois dos inúmeros casos de violência impunes. Como confirmam fontes confiáveis de Fides, “os raptores e estupradores de Ana estão livres porque pertencem ao grupo radical islâmico Lashkar-e-Tayyaba (banido por terrorismo) e a polícia até se recusou de ordenar uma visita médica”. 

O magistrado da região registrou uma denúncia contra alguns homens muçulmanos, mas não dispôs Leia mais deste post

Perseguição hoje: Jogador com tatuagem de Cristo é preso

Polícia árabe prende jogador de futebol colombiano por exibir tatuagem de Cristo

BOGOTÁ, 10 Out. 11 (ACI) .- A polícia religiosa da Arábia Saudita prendeu na sexta-feira passada um jogador de futebol colombiano em um centro comercial por exibir uma tatuagem de Cristo no ombro.

Na sexta-feira 7 de outubro, Juan Pablo Pino, de 24 anos de idade e jogador do clube Al Nasr, vestia uma camiseta sem mangas enquanto passeava com sua jovem esposa grávida em um centro comercial da cidade de Riad, capital do país.

A tatuagem do rosto do Jesus gerou insultos de vários muçulmanos no lugar, o que atraiu a atenção da chamada “Polícia para a promoção da virtude e prevenção do vício” que deteve ao casal.

O jornal árabe Sharq informa que os agentes levaram o casal “a um automóvel e esperaram a que diretores do clube Al Nasr se fizessem presentes. Pino e sua esposa foram logo entregues a estes”.

Logo depois da prisão, assinala a agência EFE, o clube divulgou umas declarações atribuídas ao jogador de futebol nas quais ele expressa sua “profunda tristeza” pelo ocorrido e onde teria assegurado que ele respeita as leis do país. Do mesmo modo o texto indica que o jogador teria comprado vestimenta Leia mais deste post

Perseguição hoje: 24 cristãos coptas assassinados no Egito

[Obs: Segundo a ACI Digital, o massacre resultou em 35 mortos e 274 feridos]

Demorou, mas os bananas de pijama se manifestaram contra o massacre de 24 cristãos por forças de segurança do Egito, ainda que o tenham feito de um modo acovardado, pusilânime. Barack Obama, a mão invisível – e pouco me importa se voluntária ou não – que dá suporte ao extremismo islâmico que ganha terreno no Oriente Médio (incluindo o Norte da África), mandou seu porta-voz dizer algumas palavras regulamentares. Segundo Jay Carney, “o presidente está profundamente preocupado com a violência no Egito que levou à perda de vidas de manifestantes e de forças de segurança”. Mais: “Chegou a hora de todas as partes darem mostras de moderação para que os egípcios possam avançar juntos na elaboração de um Egito forte e unido”. Não me diga!

Chanceleres de governos europeus (Reino Unido, Espanha e Portugal) também expressaram a sua preocupação. Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, que não chega a ser notável nem como o idiota rematado que é, também mobilizou seu porta-voz, Martin Nesirky: “O secretário-geral está profundamente triste pela perda de vidas no Cairo na noite passada. Ele convoca todos os egípcios a permanecer unidos e a preservar o espírito das mudanças históricas do início de 2011″.

Cristãos durante ato de protesto, ontem, no Cairo, contra a morte de 25 pessoas (Amr Nabil/Associated Press )

Não houve um só banana, desse enorme cacho, com coragem moral para levantar a própria voz e condenar pessoalmente o massacre, como se fazia contra Muamar Kadafi e se faz hoje contra Bashar Al Assad, um tarado sanguinário, sim, mas que enfrenta uma guerra civil, a exemplo do  tarado sanguinário já deposto, o de Trípoli. A questão é saber por que os tarados sanguinários do Egito merecem tratamento especial.

A verdade, já escrevi aqui, é que cadáveres cristãos rendem poucas perorações humanistas, embora seja o cristianismo a religião mais perseguida do mundo – a rigor, é a única cassada e caçada em vários cantos do planeta. Um cadáver cristão jamais atingirá a altitude moral de um cadáver palestino, por exemplo, porque lhe faltam as carpideiras da ideologia e do vitimismo profissional. Os cristãos não aprenderam, por exemplo, a divulgar mundo afora fotos de crianças perseguidos por seus algozes, um dos elementos obrigatórios da iconografia e do “martiriologia” palestinas. E, com isso, não estou negando que sofram. É que estou abordando aqui um aspecto da formação da opinião pública. Israelenses também são ruins nesse negócio de marketing do vitimismo. Cristãos e judeus parecem ficar bem só no papel de culpados, não é mesmo?

A cobertura que a imprensa tem dispensado ao massacre dos cristãos não é menos asquerosa. Mundo afora se fala em “violência sectária”. Como? “Violência sectária” de quem exatamente? Desde o início da chamada “revolução egípcia”, templos e casas dos cristãos têm sido incendiados, como se tem denunciado neste blog. Milícias muçulmanas os têm expulsado de suas aldeias. Trata-se de uma ação organizada, sistemática. Mas Obama manda dizer que todos devem dar provas de “moderação”. Vai ver, consoante com o símbolo que carregam e que se vê aí no alto, a moderação dos cristãos consiste na humilhação silenciosa. Sempre que alguém pede moderação à vítima, sinto no ar o cheiro da canalhice moral.

Está em curso no Egito uma “limpeza” religiosa, conduzida pela Irmandade Muçulmana, cuja “vocação democrática e pluralista” foi descoberta só por intelectuais ocidentais. E é o que vai acontecer na Síria se Assad, o carniceiro, cair. Escolha o seu carniceiro quem quiser. Eu escolho o signo que abre este post porque escolho a civilização. Não flerto com a barbárie moderada. Deixo isso para Obama e os demais bananas de pijama.

Os cristãos do mundo inteiro têm de se organizar para defender seus irmãos de fé. Até porque o cristianismo não tenta se impor como religião única em nenhum lugar do mundo. Assim, a defesa do cristianismo é uma das formas que assume a defesa da liberdade.

Fonte: Reinaldo Azevedo

Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, Igreja, Teologia, Filosofia

Perseguição hoje: Proibição de construir igreja na Rússia

Negada licença para construir igreja católica na Rússia
Dom Pezzi lamenta a decisão de Pskov

PSKOV, sexta-feira, 7 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – A rejeição da licença para a construção de uma igreja católica em Psok (Rússia) suscitou o protesto do arcebispo da diocese da Mãe de Deus em Moscou, Dom Paolo Pezzi.

Dom Pezzi lamentou esta “discriminação intencionada contra a população católica de Pskov”, por meio de uma declaração publicada nesta terça-feira, segundo informou a Rádio Vaticano.

O prelado denunciou que a administração local rejeitou renovar a licença para construir uma igreja católica dedicada à Santíssima Trindade, com o pretexto de que os trabalhos não haviam começado antes de que a licença anterior vencesse.

No entanto, a construção começou, na verdade, há 10 anos, protestou Dom Pezzi. O complexo paroquial já está acabado.

Começou em 2000, porque as autoridades rejeitaram a restituição à igreja católica de sua catedral. É a única católica desta cidade de cerca de 200 mil habitantes.

Em 2005, o então presidente da conferência episcopal russa, DomTadeusz Kondrusievicz, consagrou a parte inferior da igreja em construção. Os trabalhos haviam se financiado por meio dos paroquianos e das doações.

Cada dia, os paroquianos preparam o almoço para os pobres e para as crianças portadoras de deficiência, levam a cabo um projeto educativo para meninos de rua e ajudam as famílias das crianças portadoras de deficiência. Esta ajuda é oferecida a todos, independentemente da pertença religiosa.

Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, Igreja, Filosofia

Perseguição hoje: “Calem-se ou nós os matamos!”

Nicarágua: sacerdotes, “calem-se ou nós os matamos”
Vários párocos ameaçados, tensão entre os fiéis

MANÁGUA, quinta-feira, 6 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – Divulgou-se na Nicarágua o fato de que vários párocos foram ameaçados, um dado preocupante após o recente assassinato do pároco de La Concepción, Marlon Pupiro.

Este país vive um delicado momento político, com eleições gerais às portas e o presidente Daniel Ortega decidido a perpetuar-se no poder, situação denunciada pela Igreja Católica, junto à corrupção e outros males que afetam o país.

O secretário da Conferência Episcopal da Nicarágua e bispo da diocese de Chontales e Río San Juan, Dom Sócrates René Sándigo Jirón, afirmou que há preocupação na Igreja Católica pela falta de investigação a fundo do crime contra o Pe. Marlon Pupiro e do assédio sofrido por alguns párocos do país.

Após o assassinato do Pe. Pupiro, vários sacerdotes de Manágua e Masaya perceberam algum fato extraordinário que lhes chamou a atenção em relação à sua segurança.

Dom Sándigo Jirón manifestou que os párocos têm de ser mais prudentes, ainda que isso afete seu trabalho pastoral. “Se um sacerdote é chamado à noite para atender algum doente em uma casa ou em um hospital, é melhor que não vá, porque poderia cair em uma armadilha. Este tipo de medida, infelizmente, afetará a vida Leia mais deste post

Perseguição hoje: Ameaças e prisões no Irã

Falta de liberdade religiosa obriga cristãos a fugirem do Irã

ROMA, 04 Out. 11 (ACI) .- A ONG Christian Solidarity Worldwide informou à agência Fides que onze cristãos fugiram do Irã porque um grupo denominado “os soldados desconhecidos do Imam Oculto” enviaram correios eletrônicos afirmando que se estes não se arrependerem “serão eliminados sem piedade”.

Conforme informou Fides esta segunda-feira, os “soldados desconhecidos” são acusados de ter vínculos com a inteligência secreta iraniana. De acordo com uma fonte cristã, “a ameaça deve ser levada muito a sério”.

Do mesmo modo, denunciou que nos últimos onze meses 137 cristãos sofreram prisões injustificadas e perto de 40 estiveram detidos por várias semanas.

Um destes casos é o do pastor evangélico Yousef Nadarkhani, condenado à morte por uma acusação de apostasia. Seu caso deve ser visto pelo tribunal de Rashat e segundo fontes cristãs seu destino está em mãos de um líder religioso local, o aiatolá Ghorbani, por isso se teme que possam atribuir-lhes delitos falsos para justificar a pena capital.

Ante isto, a ONG pediu aos países que acolhem refugiados iranianos, assegurar o amparo adequado. Indicou que por exemplo, na Austrália, “os solicitantes de asilo cristãos iranianos foram etiquetados como ‘problemáticos’ pelos funcionários de imigração, que negam o visto de entrada”.

Fonte: Zenit

Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, Teologia, Filosofia, Igreja

Perseguição hoje: Dois cristãos são assassinados em Kirkuk, Iraque

Uma comunidade vítima do fundamentalismo islâmico e de disputas locais

KIRKUK, segunda-feira, 3 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – Dois membros da comunidade cristã de Kirkuk, no norte do Iraque, foram assassinados a tiros neste final de semana.

O católico Bassam Isho morreu nas mãos de um grupo armado neste domingo, no bairro de Muthana, enquanto, no sábado, foi encontrado, em uma estrada de Bagdá, o corpo de Emmanuele Hanna Polos, segundo informou a agência AsiaNews.

Bassam Isho, de 30 anos de idade, trabalhava em um restaurante do bairro de Muthana. Seus restos mortais repousarão em Telkef.

Emmanuele Hanna Polos havia nascido em 1951. Seu corpo jazia na beira da estrada que liga Kirkuk à capital iraquiana.

Estes homicídios se unem a uma longa história de sangue e violência. No último dia 15 de agosto, explodiram várias bombas contra a igreja sírio-ortodoxa de Santo Efrém, em Kirkuk, perto da catedral caldeia, no centro da cidade.

No dia 2 de agosto, um carro-bomba explodiu na frente da igreja sírio-católica da Sagrada Família, ferindo 15 pessoas.

Nesse mesmo dia, outra bomba, colocada em um carro estacionado junto a uma igreja presbiteriana, pôde ser desativada antes de explodir.

Os cristãos sofrem a violência do fundamentalismo islâmico e de disputas locais nessa cidade iraquiana de 900 mil habitantes.

Kirkuk, com suas enormes jazidas de petróleo, as mais importantes do Iraque, sofre um conflito étnico-político entre árabes, turcomanos e curdos.

Os curdos a queriam anexa à região do Curdistão, enquanto os árabes e os turcomanos apoiam o vínculo com o governo central iraquiano.

Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, Igreja, Teologia, Filosofia

Perseguição hoje: igrejas fechadas e demolidas na Indonésia

Indonésia: Grande número de igrejas são fechadas ou demolidas

ROMA, 03 Out. 11 (ACI/EWTN Noticias) .- O Foro dos Cristãos de Jacarta (Jakarta Christian Communication Fórum) informou que só no ano 2010 na Indonésia foram fechadas 47 igrejas, enquanto que nos 4 primeiros meses de 2011 já são nove os lugares de culto fechados ou demolidos.

Segundo a agência vaticana Fides estas igrejas são consideradas “ilegais” ou “não autorizadas”, por isso as autoridades civis de Java e outras províncias da Indonésia, exigem o fechamento e a suspensão de todas as atividades de culto.

O Foro de Cristãos em Jacarta informou que esta prática só é realizada nos templos cristãos e não outros lugares de culto, por isso a consideraram uma prática discriminatória e uma pressão aos cristãos. As autoridades locais justificam sua ação dizendo que as igrejas são casas utilizadas como lugares de culto, sem uma licença ou sem o número mínimo de 60 fiéis.
Entretanto o Foro explicou que a decisão se deve às pressões e protestos de grupos muçulmanos radicais.

Diante desta situação assinalaram que é necessário “estar preparados para superar os obstáculos; conhecer as regras e responder com ações legais; reunir-se com as autoridades civis; estar presente no mundo dos meios de comunicação; estabelecer um diálogo frutífero com os líderes muçulmanos locais, fomentar o entendimento mútuo; socializar-se com a população local mediante o início de atividades positivas”.

“Os cristãos na Indonésia querem ser uma bênção para a sociedade e a nação”, concluíram.

Fonte: ACI Digital

Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, Igreja, Teologia, Filosofia

Perseguição hoje: Atentado terrorista na Indonésia

Arcebispo católico deplora atentado terrorista contra protestantes na Indonésia

ROMA, 27 Set. 11 (ACI/EWTN Noticias) .- O Arcebispo de Semarang (Indonésia), Dom Johannes Pujasumarta, deplorou o atentado terrorista ocorrido no domingo 25 de setembro contra uma Igreja cristã protestante na cidade de Solo (Indonésia) depois do qual morreram 22 pessoas.

O atentado ocorreu quando um terrorista suicida explodiu uma bomba enquanto as pessoas saíam de uma cerimônia religiosa no domingo 25 na Igreja Bethel Bible na cidade de Surakarta, conhecida como Solo.

Surakarta ou Solo é conhecida por ser a cidade do líder radical Abu Bakar Bashir, que em junho deste ano foi condenado a 15 anos de prisão por financiar a grupos terroristas.

O Arcebispo Pujasumarta manifestou sua solidariedade com as vítimas do ataque suicida e condenou o terrorismo dizendo que este “é o desprezo da vida humana”. Deste modo animou os fiéis a “permanecer firmes na fé”.

No dia da explosão Dom Pujasumarta se encontrava por razões pastorais na localidade de Solo, onde Leia mais deste post

Perseguição hoje: Índia – Jejum contra discriminação

Índia: jejum contra discriminação dos “intocáveis”
Parte importante dos dalits são cristãos

NOVA DÉLi, terça-feira, 26 de julho de 2011 (ZENIT.org) – De ontem até amanhã (27), milhares de dalits, a casta dos “intocáveis” na Índia, fazem jejum nas ruas da capital Nova Déli como sinal de protesto contra as discriminações de que são objeto.

Os dalits, apesar da Constituição reconhecer a igualdade de direitos aos cidadãos, continuam sendo discriminados nas práticas sociais. Além disso, as dificuldades aumentam se eles forem cristãos ou muçulmanos.

O protesto, que concluirá na quinta-feira com uma grande manifestação pacífica em frente ao Parlamento, está organizado – segundo informa a agência Fides – pelo National Coordination Committee for Dalit Christians, o National Council of Dalit Christians e a Conferência Episcopal Indiana..

Em mais de um bilhão e 250 milhões de pessoas, os dalits são cerca de um quarto da sociedade indiana.

Segundo a organização internacional de defesa Dalit Freedom Network, o grupo compreende o maior número de Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: