Perseguição hoje – Iraque: sequestro, depredação, assassinato

Iraque: cancelada a missa da vigília em muitas cidades
Na proximidade do Natal se intensificam os ataques aos cristãos

ROMA, quinta-feira, 22 de dezembro, 2011 (ZENIT.org) – Monsenhor Louis Sako, Arcebispo católico-caldeu de Kirkuk, norte do Iraque, declarou à Ajuda à Igreja que Sofre que os cristãos estão assustados com os recentes ataques.

O bispo disse que não será possível celebrar a Missa da meia-noite por causa do alto risco para a segurança dos fiéis (todas as liturgias do tempo do Natal serão celebradas durante o dia) e que os cristãos não mostrarão decorações de Natal fora das suas casas.

“A Missa do Galo para a véspera de Natal – disse o arcebispo Sako – foi cancelada em Bagdá, Mosul e Kirkuk, devido aos contínuos ataques terroristas contra os cristãos e do ataque contra a igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ocorrido dia 31 de outubro, em que 57 pessoas foram mortas”.

De acordo com o arcebispo de Kirkuk, a segurança no país está se tornando cada vez mais precária, como resultado da retirada das tropas dos EUA no início deste mês.
Monsenhor Sako argumentou, no entanto, que a situação está dramaticamente marcada por contrastes de poder político entre sunitas e xiitas.

As declarações do arcebispo foram precedidas por um grande número de incidentes no norte da província do Curdistão, antes considerada “segura”, tendo atraído muitos cristãos do Sul.
Em Erbil, a capital do Curdistão, um cristão de 29 anos, Sermat Patros, foi seqüestrado na tarde do passado 12 de dezembro.

Na semana anterior, entre 2 e 5 de Dezembro, mais ou menos 30 lojas de propriedade dos cristãos foram queimadas em Zakho, na província curda de Dohuk, perto da fronteira com a Turquia. Muitas das lojas assaltadas vendem álcool e foi relatado que as violências são consequência da condenação contra as vendas de licores, proclamada durante as orações da sexta-feira.

Além destes incidentes, destacamos o assassinato de dois esposos cristãos, Adnan Elia Jakmakji e Raghad al Tawil, ocorridas num tiroteio a bordo de seu carro em Mossul, norte do Iraque, no passado 13 de dezembro. Segundo o que foi relatado, o casal foi deliberadamente observado e assassinado.

Ajuda à Igreja que Sofre tem exortado os cristãos de todo o mundo para orarem pelos seus irmãos iraquianos, durante todo o tempo do Natal, um sinal de solidariedade.

Perseguição hoje: Dois cristãos são assassinados em Kirkuk, Iraque

Uma comunidade vítima do fundamentalismo islâmico e de disputas locais

KIRKUK, segunda-feira, 3 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – Dois membros da comunidade cristã de Kirkuk, no norte do Iraque, foram assassinados a tiros neste final de semana.

O católico Bassam Isho morreu nas mãos de um grupo armado neste domingo, no bairro de Muthana, enquanto, no sábado, foi encontrado, em uma estrada de Bagdá, o corpo de Emmanuele Hanna Polos, segundo informou a agência AsiaNews.

Bassam Isho, de 30 anos de idade, trabalhava em um restaurante do bairro de Muthana. Seus restos mortais repousarão em Telkef.

Emmanuele Hanna Polos havia nascido em 1951. Seu corpo jazia na beira da estrada que liga Kirkuk à capital iraquiana.

Estes homicídios se unem a uma longa história de sangue e violência. No último dia 15 de agosto, explodiram várias bombas contra a igreja sírio-ortodoxa de Santo Efrém, em Kirkuk, perto da catedral caldeia, no centro da cidade.

No dia 2 de agosto, um carro-bomba explodiu na frente da igreja sírio-católica da Sagrada Família, ferindo 15 pessoas.

Nesse mesmo dia, outra bomba, colocada em um carro estacionado junto a uma igreja presbiteriana, pôde ser desativada antes de explodir.

Os cristãos sofrem a violência do fundamentalismo islâmico e de disputas locais nessa cidade iraquiana de 900 mil habitantes.

Kirkuk, com suas enormes jazidas de petróleo, as mais importantes do Iraque, sofre um conflito étnico-político entre árabes, turcomanos e curdos.

Os curdos a queriam anexa à região do Curdistão, enquanto os árabes e os turcomanos apoiam o vínculo com o governo central iraquiano.

Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, Igreja, Teologia, Filosofia

Perseguição hoje: Iraque – Violência generalizada contra cristãos

Iraque: desânimo dos cristãos com a violência
Já não acreditam em um futuro para o seu país

.

ROMA, terça-feira, 14 de junho de 2011 (ZENIT.org) – O assassinato de um cristão ortodoxo, pai de 4 filhos, ocorrido em 31 de maio em Mossul, aumentou a sensação de pessimismo entre os cristãos sobre a perspectiva de um futuro de paz no Iraque.

O arcebispo caldeu Bashar Warda, de Erbil, no norte curdo do país, compartilhou suas impressões em uma entrevista concedida à associação caritativa católica Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), que assiste os cristãos perseguidos.

O prelado contou que o assassinato ocorrido levou alguns de seus fiéis a acharem que já “não há futuro” para seu país de origem e que, no entanto, é perigoso ir embora para outros países vizinhos, devido ao conflito político em que vivem.

Arakan Yacob foi a última vítima de uma série de ataques contra os cristãos no Iraque. Já havia sido objeto de tentativas de sequestro e, na terceira delas, os delinquentes alcançaram seu objetivo, tomando-o como refém. Três semanas antes, outro jovem cristão, de 29 anos de idade, Ashur Yacob Issa, foi raptado e assassinado, depois de sua família não poder pagar o resgate de mais de 100 mil dólares exigido pelos sequestradores.

Dom Warda contou que, desde 2002, mais de 570 cristãos foram assassinados em episódios de violência religiosa ou política. Entre 2006 e 2010, 17 sacerdotes iraquianos e 2 bispos foram Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: