Chestertoninas: Filósofos, realeza e santidade

“No velho provérbio pagão – que desejava reis filósofos ou filósofos reis – havia certa inexatidão com respeito a um mistério que apenas o Cristianismo podia revelar. Porque, conquanto seja possível a um rei querer muito ser santo, não é possível a um santo querer muito ser rei. Um homem de bem dificilmente sonhará sempre com vir a ser grande monarca, mas é tal a liberdade da Igreja, que não pode impedir até um grande monarca de sonhar a vir a ser homem de bem.”

G. K. Chesterton, Santo Tomás de Aquino, Ed. LTr

 

Tomás de Aquino, Santo Tomás

%d blogueiros gostam disto: