Tomás responde: O mundo é governado por algo?

O mais antigo ícone conhecido do Cristo Pantocrátor (séc. VI) – Monastério de Santa Catarina, Monte Sinai

Parece que o mundo não é governado por algo:

1) Com efeito, ser governado é próprio dos que são movidos ou que agem em função de um fim. Ora, as coisas naturais, que constituem a maior parte do mundo, não são movidas nem operam em função de um fim, porque não o conhecem. Logo, o mundo não é governado.

2) Além disso, ser governado, propriamente, é próprio dos que são movidos a algo. Ora, não parece que o mundo seja movido para algo, mas que possui em si mesmo sua estabilidade. Logo, não é governado.

3) Ademais, o que tem em si mesmo uma necessidade pela qual é determinado a algo único, não precisa de um agente externo para governá-lo. Ora, as principais partes do mundo estão determinadas, por certa necessidade, a algo único, em seus atos e movimentos. Logo, o mundo não precisa de governo.

EM SENTIDO CONTRÁRIO, consta no livro da Sabedoria: “Mas Tu, Pai, governas todas as coisas pela providência”. E Boécio diz: “Oh! Tu, que governas o mundo de acordo com um plano eterno!

 

RESPONDO. Alguns filósofos antigos negaram que o mundo seja governado, dizendo que todas as coisas agiam ao acaso. Esta posição mostra-se impossível por dois motivos:

1. Primeiro, em razão daquilo que se manifesta nas próprias coisas. Vemos, com efeito, nas coisas naturais suceder o que é melhor, sempre ou na maioria das vezes. Isso não aconteceria, a não ser que as coisas naturais fossem conduzidas, por uma providência, a um fim bom. Isto é governar. Daí se vê que a própria ordem exata das coisas demonstra, de maneira clara, que o mundo é governado. Segundo a observação de Cícero, citando Aristóteles, quando se entra numa casa bem arrumada, esta arrumação bem ordenada permite perceber a presença orientadora do senhor da casa.

2. Em segundo lugar, o mesmo fica claro, pela consideração da Leia mais deste post

Tomás responde: O Filho é igual ao Pai em grandeza?

Cristo Pantocrator, Catedral de Monreale, Sicília, Itália (clique para ampliar)

Parece que o Filho não é igual ao Pai em grandeza:

1. Com efeito, ele próprio diz: “O Pai é maior do que eu” (Jo 14, 28). E o Apóstolo, na primeira Carta aos Coríntios: “O próprio Filho será submetido àquele que tudo lhe submeteu” (18, 28).

2. Além disso, a paternidade faz parte da dignidade do Pai. Ora, a paternidade não convém ao Filho. Portanto, o Filho não possui toda a dignidade do Pai. Logo, ele não é igual ao Pai em grandeza.

3. Ademais, onde há todo e parte, várias partes são mais do que um só ou que um número menor dessas partes. Por exemplo, três homens fazem Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: