Chesterton X Nietzsche (legendado)

“Nietzsche, como todos sabem, pregou uma doutrina que ele e seus seguidores aparentemente consideravam muito revolucionária; sustentaram que a moral altruísta simplesmente havia sido uma invenção de uma classe escrava para evitar que, em tempos posteriores, alguém surgisse para combatê-la e dominá-la. Os modernos, concordando ou não com Nietzsche, sempre se referem a essa idéia como algo novo e jamais visto. Com tranqüilidade e insistência, se supõe que os grandes escritores, digamos Shakespeare, por exemplo, não sustentou essa idéia porque jamais havia pensado nela. Recorramos ao último ato de Ricardo III de Shakespeare e encontraremos não só tudo o que Nietzsche tinha a dizer, resumido em duas linhas, mas também as mesmas palavras de Nietzsche. Ricardo o corcunda, disse:

Consciência é só uma palavra que usam os covardes,

Criada, a princípio, para infundir terror aos fortes.

 Como já falei, o fato é evidente. Shakespeare havia pensado na idéia de Nietzsche e na Moralidade Suprema; porém o deu seu próprio valor e pôs no lugar que lhe corresponde. Este lugar é a boca de um corcunda meio louco nas vésperas da derrota. Essa raiva contra os debilitados só é possível em um homem morbidamente admirável, mas profundamente enfermo; um homem como Ricardo; um homem como Nietzsche. Este caso deveria destruir a fantasia absurda de que estas filosofias modernas são modernas no sentido de que os grandes homens do passado não pensaram nelas. Não é que Shakespeare não tenha visto a idéia de Nietzsche; ela a viu, porém viu além dela.”

G. K. Chesterton, The Common Man

Chesterton: A Doutrina Social Católica

“Há duas formas conhecidas de discutir com um comunista; e ambas estão erradas. Há também uma terceira forma que é correta mas que não é conhecida. Agora tenho a noção de que, por um motivo ou outro, uma parte considerável do nosso tempo cedo ou tarde será consumida discutindo com comunistas. E vou descrever em poucas palavras o que considero ser a forma certa de fazê-lo. Curiosamente, as duas maneiras mais comuns de contradizer o comunismo também se contradizem entre si. A primeira consiste em acusar o bolchevista de todos os vícios. A segunda, curiosamente, consiste em acusá-lo de todas as virtudes. Consiste realmente em contrapor os nossos vícios às virtudes, ou supostas virtudes, dele.

Este é o truque mais perigoso e até suicida dos dois, e sua natureza exige uma pequena explicação. O primeiro método, ou método convencional, é bastante simples. O capitalista diz ao comunista, “Você não entrará em minha casa, pois sei que você irá destruí-la; você não falará com minha família, pois sei que você a explodiria; você é um ladrão e assassino qualquer, eu sou uma pessoa moral e respeitável. Não somo como os russos.” Eu não gostaria de falar assim com um bolchevista, porque eu não falaria assim nem com um ladrão. É portar-se como um fariseu; e o fariseu é um inimigo do cristão mais antigo que o marxista.

Eu prefiriria o outro método, o qual me parece extremamente comum entre aqueles que afirmam defender a propriedade ou o individualismo contra a heresia marxista. Consiste em dizer ao comunista que ele é um idealista, ou, em outras palavras, que ele está errado porque tem ideais. Neste segundo caso, o capitalista diz ao comunista, “Você acredita em um monte de bobagens sobre a irmandade entre os homens; mas eu digo, como um homem prático, que cada um quer obter o máximo possível para si, e agrediria o próprio irmão por um negócio se pudesse. Cada homem deve obedecer o seu instinto aquisitivo.” (Eu li exatamente estas palavras em um ataque à teoria bolchevista.) “Não se pode manter as coisas funcionando sem empresas privadas; e não se pode produzir empresas privadas sem suborná-las ou recompensá-las com os louros oriundos da propriedade privada.” As pessoas usam estes argumentos contra o comunismo como se estes fossem argumentos somente contra o comunismo, e depois se surpreendem porque um grande número de jovens entusiasmados se tornam comunistas.

Eles não percebem que, para os jovens, o capitalista em questão parece estar dizendo simplesmente, “Eu sou um patife ganancioso, e proíbo você de ser qualquer coisa diferente disso.”

Mas o verdadeiro argumento final e completo contra o comunismo é que a propriedade privada é muito mais importante que a empresa privada. Um batedor de carteiras realiza um empreendimento privado, mas não se pode dizer que ele apoia a propriedade privada. A propriedade privada não é uma recompensa que existe para manter a empresa privada. Pelo contrário, a empresa privada é somente uma ferramenta ou uma arma, que pode às vezes ser útil para preservar a propriedade privada. E é necessário preservar a propriedade privada simplesmente porque ela é um outro nome para a liberdade. Não é meramente um respeito convencional. Pelo contrário, é somente o homem com alguma propriedade e privacidade que pode viver sua própria vida livremente. E tampouco é uma simples licença comercial, e menos ainda uma licença para a fraude. Pelo contrário, toda a questão da propriedade gira em torno do fato de que ela somente pode ser nutrida com o sentimento da honra. Seria necessário mais espaço aqui para expor esta tese, e levaria mais tempo ainda para expô-la a um comunista. Mas um comunista certamente a escutaria por mais tempo do que a um homem meramente gabando-se de sua própria retidão ou a um homem que se gaba da própria avareza.”

G. K. Chesterton, How Not To Do It

Chesterton: Os sete pecados capitais – Parte 1/2

Myriam de Qaraqoush

“Para os que se perguntam onde esteja Deus no meio de tanto sofrimento… Os olhinhos e as palavras desta criança revelam o coração de Deus…”.

Carlos Guerrero, autor das legendas do vídeo

 

.

Stephen Hawking existe?

John Lennox, matemático da Universidade de Oxford, demonstra em linguagem clara e objetiva as auto-contradições inerentes aos argumentos ateistas em favor de um universo sem Criador, sobretudo as idéias filosoficamente pueris apresentadas no livro “O Grande Projeto”, de Stephen Hawking e Leonard Mlodinow.

.

Para entender os homossexuais

Muito esclarecedor, e com muitos testemunhos. 

 

 

.

Deus existe?

É um documentário muito interessante, chamado “The Case for a Creator”, baseado no livro de mesmo nome do jornalista Lee Strobel. Apesar do título, trata fundamentalmente de ciência, e não de religião. Está dividido em sete partes, com aproximadamente 10 minutos cada. Nelas são abordados assuntos como Cosmologia, Física, Evolução, etc. Legendado em português. Check it out!

Obs: para ver a relação completa dos vídeos, clique em You Tube (Watch on Youtube.com) no vídeo acima.

Obs2: o “motor” biológico mostrado na parte 5 é simplesmente INCRÍVEL! Se eu fosse ateu, me convertia depois de ver isso.

.

História Moderna do Aborto no Brasil e no Mundo

RECOMENDO VIVAMENTE!

A palestra começa em 03:46.

 

“A mulher está sendo instrumentalizada através das feministas que dizem nos representar. Somos reles instrumentos para uma alteração social global perfeita, para a alteração das dinâmicas sociais.”

 

Tomás de Aquino e o Concílio Vaticano II

Quer divertir-se um pouco com os ateus?

Eu confesso que ri um bocado com as perguntas feitas aos ateus. E também achei muito interessante que, ao final, o assunto vá em direção à lei natural (ou lei moral), na minha opinião um dos mais fortes argumentos contra o ateísmo. 

Caso interesse, eu já coloquei no blog quatro artigos sobre esse tema. Destaco o texto de Lewis, tirado do livro “Cristianismo Puro e Simples” (Mere Christianity). Assim como Chesterton, Lewis é um autor cuja leitura considero extremamente prazerosa. Confira:

♦ A Lei Moral, ou “Como deixar um ateu em maus lençóis”
♦ A Lei Moral 2: Lewis e a lei natural
♦ A Lei Moral 3: O Esplendor da Verdade
♦ A Lei Moral 4: Há em nós uma lei natural?
A Psicologia e a Lei Natural
A Psicologia e os valores
 
Veja também a notícia da conversão de uma blogueira ateísta graças à lei moral:

Famosa blogueira atéia converte-se ao catolicismo

.

.

Santo Tomás de Aquino está ultrapassado?

Artigo do Padre Paulo Ricardo

Embora o Magistério lhe atribua o título de Doctor Angelicus, por sua inigualável contribuição à teologia, Santo Tomás de Aquino vem caindo no esquecimento ano após ano. Em alguns casos, chega-se a considerá-lo matéria ultrapassada, sobre a qual não valeria mais a pena discutir. Os estudos teológicos, com efeito, deveriam ser pautados apenas pelos conceitos modernos de investigação, não por teses medievais.

Mas essa, sem sombra de dúvida, não é a posição da Igreja Católica. O Concílio Vaticano II, superando qualquer outra afirmação conciliar já feita – mesmo as de Trento -, deu a Santo Tomás de Aquino o posto de “o guia” da teologia e da filosofia. Por duas vezes, os padres conciliares se referem a ele nesses termos. A Declaração Gravissimum Educationis, que versa sobre a educação cristã, por exemplo, diz o seguinte: “se veja mais profundamente como a fé e a razão conspiram para a verdade única, segundo as pisadas dos doutores da Igreja, mormente de S. Tomás de Aquino”01. E assim também a Optatam totius, sobre a formação dos sacerdotes: “Depois, para aclarar, quanto for possível, os mistérios da salvação de forma perfeita, aprendam a penetrá-los mais profundamente pela especulação, tendo por guia Santo Tomás, e a ver o nexo existente entre eles”02.

Contudo, apesar das claras admoestações do Concílio, bastou que Paulo VI dissesse “Ite, missa est”, para que Santo Tomás de Aquino fosse varrido do mapa. A impressão que se tinha era que Leia mais deste post

Tomás para as crianças

.

Santo Tomás de Aquino e a fé como perfeição da inteligência

.

Santo Tomás de Aquino y la fe como perfección de la inteligencia

Los preámbulos de la fe y el atrio de los gentiles

* Una clara distinción entre razón y fe: se distinguen tanto por sus contenidos (aun cuando el objeto final de las dos sea Dios) por el método del que se valen para acceder a los mencionados contenidos: la razón se vale de la abstracción, mientras que la fe se vale de la revelación.

* Frente a Averroes mantiene que no hay contradicción entre ambas, pero sí una zona de confluencia. Santo Tomás niega la teoría de la doble verdad pero admite que hay dos tipos de verdades independientes entre sí: 1) Los artículos de fe, verdades a las que sólo se puede acceder a través de la fe. 2) Verdades que son dominio de la razón cuyo objeto de estudio es el mundo natural.

* Junto a estos dos tipos de verdades que son materia exclusiva de la fe o materia exclusiva de la razón Santo Tomás admite un tercer tipo de verdades a las que se puede acceder desde los dos ámbitos: ese tercer tipo de verdades las llama preámbulos de la Fe y son verdades tales como que Dios existe, que es uno, que es creador del mundo, etcétera.

La teología como ciencia

* Tomás se apoya en la distinción, común en el periodo clásico griego, entre “opinión” (dóxa) y “ciencia” (epistéme). Sólo le interesa lo segundo, que podemos llamar Leia mais deste post

Uma matéria apaixonante

.

Padre Paulo Ricardo e Santo Tomás: por que rezar?

.

Stanford Nutting interroga Chesterton

 

 

Debate Chesterton X Clarence Darrow legendado

.

Veja também o debate Chesterton X Blatchford e os vídeos “Religião hoje”, “Religião no mundo moderno” e “Autores hoje” CLICANDO AQUI.

.

“A Resposta Católica”: página de download atualizada

A página “A Resposta Católica” está atualizada, com todos os áudios e vídeos das palestras do padre Paulo Ricardo disponíveis para download. 

Também a página com os áudios e vídeos intitulados “Parresía” está completa.

Clique no menu acima, em “Padre Paulo Ricardo – Download” para acessar as páginas em questão (ou clique na imagem acima para ir diretamente à página de “A Resposta Católica”).

Todos os arquivos estão hospedados no Megaupload, em formato mp3 para os áudios e AVI para os vídeos.

Suma Teológica, Santo Tomás de Aquino, Igreja, Teologia

Download: áudios e vídeos do padre Paulo Ricardo

Nova página criada: “Padre Paulo Ricardo – Download”. Trata-se de um índice que visa facilitar a pesquisa dos assuntos abordados pelo padre Paulo Ricardo, uma vez que podem ser visualizados em uma única página, ordenados pela data em que foram disponibilizados no site oficial. Pretendo colocar os áudios e vídeos das seções intituladas “PARRESÍA”, “A RESPOSTA CATÓLICA”, e outros que chamarei de “DIVERSOS”.  A página “Parresía” já está quase completa, com todos os áudios incluídos, faltando apenas os 5 últimos vídeos, que pretendo disponibilizar até amanhã. Assim que terminar essa página, começo as postagens dos vídeos intitulados “A Resposta Católica”. Os áudios estão no formato mp3, e os vídeos em AVI, com ótima qualidade (muito bons para assistir em tela cheia). Todos estão hospedados no Megaupload.

Pretendo atualizar as páginas de download assim que forem disponibilizados no site oficial do padre Paulo Ricardo. Para manter-se informado, CADASTRE-SE NO BLOG, no alto da página, à direita: “Receba atualizações por email”. Assim você receberá um email do WordPress sempre que o um artigo novo for publicado.

Veja também o site oficial do padre Paulo Ricardo em padrepauloricardo.org .

Para fazer o download dos áudios e vídeos, clique no menu acima em “Padre Paulo Ricardo-Download”.

Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, Igreja, Teologia.

Debate Chesterton x Blachford e outros

Seguem 4 vídeos legendados do Theater of the World. O primeiro é uma representação do debate entre Chesterton e Blachford, que aconteceu nas páginas do jornal Clarion. No segundo, “Religião Hoje”, vemos uma programa de entrevistas com convidados “modernistas” falando de Deus. O terceiro e o quarto mostram o “facilitador” (professor) Stanford Nutting, que com sua pedagogia “moderna” perde as estribeiras ao ouvir o nome de… Chesterton! Divirta-se!

Debate Chesterton X Blachford:

.

Religião Hoje:

.

Religião no mundo moderno:

.

Autores hoje:

Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, Igreja, Chesterton

%d blogueiros gostam disto: