Resposta a Leonardo

Recebi, pela página de contato do blog, a mensagem abaixo. Porém, como o autor não se identificou, fiquei impossibilitado de responder por email. Como é assunto que me interessa muito, caso tenha interesse, escreva-me novamente enviando seu endereço, para que eu possa responder.

“Não sei se há mais de um moderador deste site, entretanto me direciono a David. David, Acabo de ler o seu texto sobre a Lei Moral. Assim como você, li Cristianismo Puro e Simples. Entretanto, ainda tenho algumas dúvidas em relação a possibilidade da origem da Lei Natural ser o evolucionismo, mais especificamente no argumento que você descreve como “o de que o comportamento altruísta entre membros de um grupo beneficia o grupo todo”. 1. Você utiliza dois exemplos para provar o seu ponto; o primeiro é o das formigas e o segundo o de salvar um inimigo do afogamento. – Em relação ao primeiro exemplo, não seria incoerente comparar um grupo de animais não racionais e bem menos complexos com a raça humana? Isto é, se as formigas não são de um jeito, não significa que humanos não podem ser desse jeito. – Em relação ao segundo exemplo, tal atitude não poderia ser explicada por uma falha ou uma imperfeição na evolução? Assim como possuímos falhas em nosso corpos, não poderíamos ter uma falha em uma moralidade originada pela evolução? Isto é, não seria possível que os nossos ancestrais que tinham algum tipo de comportamento altruísta que contribua para o desenvolvimento do grupo também fossem altruístas com pessoas fora do grupo, e mesmo ajudando inimigos, uma característica não benéfica a seus genes, continuassem sobrevivendo e se reproduzindo mais que outros que não tinham nenhum tipo de comportamento altruísta? Não sei se está claro o que quero dizer. É como se a Lei Moral fosse um pacote de características, algumas boas para os interesses evolucionistas, algumas ruins, porém que ainda tendo características ruins, valia a pena pelas características boas. 2. Em seu livro, C S Lewis diz que “é perfeitamente verdadeira a ideia de que a segurança e a felicidade só podem vir quando os indivíduos, as classes sociais e os países são honestos, justos e bons uns com os outros. É uma das verdades mais importantes do mundo.” Ele continua: “Ela só não consegue explicar por que temos tais e tais senti­mentos diante do Certo e do Errado. Se eu perguntar: ‘Por que devo ser altruísta?’, e você responder: ‘Porque isso é bom para a sociedade’, poderei retrucar: ‘Por que devo me importar com o que é bom para a socie­dade se isso não me traz vantagens pessoais?’, ao que você terá de responder: Porque você deve ser altruísta’ “. Aqui, eu acredito que ao invés desta última fala, o locutor poderia retrucar “Você não precisa se importar. Você já se importa por razões evolutivas.” Assim, seria possível explicar por que temos tais sentimentos diante do Certo e do Errado. Não sei se você lerá esta mensagem. Entretanto, possuo a esperança de uma resposta. A propósito, também sou cristão. Deus abençoe! Leonardo”

4 Responses to Resposta a Leonardo

  1. David says:

    Publiquei a resposta hoje. E já tem réplica…

  2. Pingback: Algumas considerações sobre lei natural (resposta a Leonardo) | Suma Teológica - Summae Theologiae

  3. José Laércio Chaves says:

    Eu recebia sempre informações deste, mas ultimamente não recebido nada.

  4. Aldrin Willy Mesquita Taborda says:

    Mas qual sua resposta, David?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: