Steve Jobs, Pio XI e Calvin

“Lembrar que eu estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que eu encontrei para me ajudar a fazer grandes escolhas na vida. Por que quase tudo – todas as expectativas externas, todo o orgulho, todo o medo de se envergonhar ou de errar – isto tudo cai diante da face da morte, restando apenas o que realmente é importante. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira para eu saber evitar em pensar que tenho algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir o seu coração.”

.

Steve Jobs e o Papa Pio XI? O que tem a ver? Leia até o final o artigo da Zenit abaixo, sobre notícia publicada no L’Osservatore Romano, e descubra. Calvin vai no final no post.

Jornal vaticano recorda Steve Jobs como “visionário” da tecnologia e da arte

ROMA, 06 Out. 11 (ACI/EWTN Noticias) .- O jornal vaticano L’Osservatore Romano (LOR) recordou o fundador da companhia Apple e inventor do Ipod, Steve Jobs, falecido ontem 5 de outubro, como um “visionário que uniu a tecnologia e a arte”.

Em um artigo titulado “O talento de Mr. Apple”, LOR assinala que Jobs – falecido aos 56 anos de idade depois de vários lutando contra o câncer de pâncreas- “foi um dos protagonistas e símbolos da revolução do Silicon Valley”, o lugar nos Estados Unidos onde estão todas as principais empresas informáticas.

Esta revolução, diz o artigo, também foi uma “revolução de costumes, de mentalidades, de cultura. Revolução filha, mas não herdeira, dos não-preconceituosos anos 70”.

Jobs, prossegue o texto, “foi um visionário que uniu a tecnologia e a arte. Certo, não era um técnico nem um empreendedor. Não era um desenhista nem um matemático. Tampouco era o clássico nerd da informação nem homem de espetáculo. Pirata ou pioneiro? Será a história quem o diga. Enquanto isso ficam suas geniais criações”.

Papa Bento XVI postando no Twitter com IPad

De “gravidez não desejada” a gênio

Steve Jobs nasceu em 24 de fevereiro de 1955 e foi dado em adoção por sua mãe biológica, Joanne Simpson, porque seu pai se opôs à sua relação com Abdulfattah John Jandali, de origem síria e pai biológico do Steve.

Joan e Abdulfattah se casaram depois da morte do avô de Steve. O casal teve uma filha e tentou recuperar o menino, mas legalmente foi impossível.

Jobs, criado por um casal de classe trabalhadora, fundou a empresa Apple com Steve Wozniak em 1976 na garagem de sua casa. “Em apenas dez anos a sociedade chegou aos dois bilhões de dólares faturados”, recorda LOR.

Apple lançou em 24 de janeiro de 1984 o Macintosh 128K, o primeiro computador pessoal que comercializado exitosamente, que usava uma interface gráfica de usuário (GUI) e um camundongo (mouse) em vez da linha de comandos.

No ano 2001 Jobs lançou o Ipod, uma ferramenta “que entrou no coração e na mente de milhares de pessoas”. “Talento, puro talento”, acrescenta o texto.

Sobre o legado de Steve Jobs, o novo diretor da revista Civiltá Cattolica e perito em novas tecnologias da comunicação, o sacerdote jesuíta Antonio Spadaro, assinalou que sua maior contribuição está “no fato que a tecnologia, para ele, é parte da vida” já que esta “não é um pouco reservado apenas aos técnicos” mas para “nossa vida de todos os dias”.

O Pe. Spadaro recordou a compreensão do Papa Pio XI sobre o fenômeno da comunicação e considerou que tanto Jobs como o Pontífice compreenderam “que a comunicação é o maior valor que hoje temos à disposição e devemos fazer dar fruto. Nele se uniu assim uma grande capacidade inovadora e uma grande capacidade criadora”.

“No fundo, a mensagem mais importante de Steve Jobs é: ‘Stay hungry, stay foolish’, mantenha-se faminto, mantenha-se tolo; quer dizer, sempre tenha a capacidade de ver a vida em novos termos”, acrescentou o sacerdote em alusão ao histórico discurso que ofereceu Jobs na Universidade de Stanford em 2005.

Esta maneira de ver as coisas, conclui o perito jesuíta, está relacionado com a capacidade de ver além dos limites. “Esta tensão adiante do limite e à superação de uma condição de estática, de adequação ao existente, é muito importante e, para nós, é algo que temos que aprender”, concluiu.

Suma Teológica, Santo Tomás de Aquino, Igreja, Teologia, Filosofia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: