Tomás responde: Os sacramentos são causa da graça?

El Greco (1541-1614), Pentecostes (1600), Museu do Prado, Madrid

É preciso afirmar que os sacramentos da Nova Lei, de alguma maneira, causam a graça. É conhecido que por eles o homem é incorporado a Cristo, como o Apóstolo diz sobre o batismo: “Vós todos que fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo” (Gl 3, 27). Mas, ninguém se torna membro de Cristo, senão pela graça.

Alguns dizem que os sacramentos não são causa da graça por efetuarem algo, mas porque Deus, quando usamos os sacramentos, produz a graça na alma. Dão como exemplo o homem que, apresentando uma senha de chumbo, recebe cem reais por ordem do rei: não que a senha faça algo para ele obter aquela quantia de dinheiro; a única causa é a vontade do rei. Nesse sentido, diz Bernardo: “Como o cônego recebe sua investidura pelo livro, o abade pelo báculo, o bispo pelo anel, assim as diversas distribuições das graças são conferidas pelos sacramentos”.

Mas, considerando bem, tal explicação ainda permanece no âmbito do sinal. Pois a senha de chumbo é apenas um sinal da ordem do rei para que o portador da senha receba tal dinheiro. Semelhantemente o livro é um sinal da transmissão da dignidade de cônego. Dentro dessa perspectiva, os sacramentos da Nova Lei seriam meros sinais da graça. No entanto, a autoridade de muitos Santos confirma que os sacramentos da Nova Lei não só significam, mas causam a graça.

Deve-se, pois, entender de outro modo. Há duas maneiras de considerar a causa agente: como causa principal e como causa instrumental. A causa principal atua por força de sua forma à qual se assemelha o efeito, como o fogo que aquece com seu calor. A causa principal da graça só pode ser Deus, porque a graça é uma semelhança participada da natureza divina, como diz a Carta de Pedro: “Foram-nos concedidos os bens do mais alto valor que nos tinham sido prometidos, para que, graças a eles, entrásseis em comunhão com a natureza divina”. Entretanto, a causa instrumental não atua por força de sua forma própria, mas só pelo movimento que lhe imprime o agente principal. Em consequência, o efeito não se assemelha ao instrumento, mas ao agente principal, como o leito não se parece com o machado, mas com o projeto que está na mente do artesão. É deste modo que os sacramentos da Nova Lei causam a graça: por ordem de Deus são utilizados para causar a graça nos homens. Por isso Agostinho afirma: “Tudo isso (a saber: o gesto sacramental) realiza-se e passa, mas a força que atua por eles, (por ser de Deus), permanece perenemente”.Chama-se propriamente instrumento aquilo pelo qual alguém atua. Por isso se lê: “Ele nos salvou pelo banho do novo nascimento” (Tm 3, 5).

Suma Teológica III, q. 62, a.1

Santo Tomás de Aquino, Igreja, Teologia, Filosofia

Anúncios

3 Responses to Tomás responde: Os sacramentos são causa da graça?

  1. Thyago says:

    “O igualitarismo é a síntese de todas as heresias”

  2. David says:

    Amiga Ombelina,
    Já eu acredito que o mal do mundo de hoje não se deve ao capitalismo. A mentalidade socialista, que pelo menos no Brasil tem dominado a mídia e o ensino, é que nos tem passado essa visão distorcida da realidade. O socialismo sim é que tem destruído a alma das pessoas e, onde alcançaram o poder, destruído também seus corpos. Não acho que o capitalismo seja desprovido de defeitos, e que possa mesmo assumir formas muito perniciosas, mas perceba que inerente a ele também temos coisas muito positivas, como a liberdade de escolha, a livre iniciativa, a propriedade privada, tudo isso levando a um grande desenvolvimento econômico, tecnológico e também social. Afinal, se as pessoas podem valorizar os demais pelo que tem, e não pelo que são, é porque são livres para isso. De minha parte, percebo claramente que se vivesse num país comunista certamente não estaria escrevendo um blog chamado “Suma Teológica”, tentando divulgar a obra de Sto Tomás e falando bem da Igreja. Estaria sim, pelo que sou e pelo que faço, jogado numa prisão ou já com uma bala na nuca.
    Dentro de uma perspectiva histórica, prefiro situar as raízes dos problemas atuais nas idéias da renascença, no idealismo filosófico, na Reforma, na Revolução Francesa, no marxismo… Mas isso tudo, afinal, será que não serviu também para um amadurecimento do cristão?
    De qualquer modo, não pensemos que somos “especiais” na história. Desde o seu início a Igreja se deparou com inumeráveis heresias e perseguições as mais diversas. E numa coisa a humanidade não mudou absolutamente nada no decorrer dos séculos: na realidade profunda, de muito fácil constatação, que é o pecado original e a concupiscência.
    Abraço.
    David

  3. Acredito plenamente,mans tenho a certeza que em nossos tempos Deus tem algo mais a nos oferecer, diante dos acontecimentos, de nos despojar do homem velho,nascer de novo,e isto se dará com o encontro pessoal com jesus, recebendo dele o Espírito Santo.
    Este espirito nos santificará;pois sedem Santos como Vosso PAI DO CÉU É SANTO
    ELE NOS QUER SANTOS.
    No mundo atual muitos estão perdidos sem rumo,meio ao capitalismo, a pessoa é valorizada pelo o que tem e não pelo que ela é, a sua exência , de ser olhada com os olhos de JESUS.
    Povo sedento por falta de amor.
    QUE DEUS O ABENÇÕE!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: