Tomás responde: A criatura corporal foi criada por Deus?

Albrecht Dürer (1471-1528), Adão e Eva, Museu do Prado, Madrid

Parece que a criatura corporal não foi criada por Deus:

1. Com efeito, lê-se no livro do Eclesiastes: “Aprendi que tudo o que Deus fez persevera para sempre” (3, 14). Ora, os corpos visíveis não perseveram para sempre, segundo se diz na segunda Carta aos Coríntios: “O que se vê é temporal, e o que não se vê é eterno” (4, 18). Logo, Deus não criou os corpos visíveis.

2. Além disso, diz o livro do Gênesis: “Deus viu as coisas que criou e que eram muito boas” (1, 31). Ora, as criaturas corporais são más, pois vemos muitas delas nocivas, como as serpentes, o calor do sol, etc. Por isso, uma coisa é dita má porque é nociva. Logo, as criaturas corporais não foram criadas por Deus.

3. Ademais, o que vem de Deus, dele não se afasta, mas leva a ele. Ora, as criaturas corporais afastam de Deus, razão por que escreveu o Apóstolo na segunda Carta aos Coríntios: “Não considerar as coisas que vemos” (4, 18). Logo, as criaturas corporais não foram criadas por Deus.

EM SENTIDO CONTRÁRIO, diz o Salmo 145: “Aquele que fez o céu e a terra, o mar e tudo o que neles existe” (v. 6).

RESPONDO. Afirmaram alguns heréticos que as coisas visíveis não foram criadas por um Deus bom, mas por um princípio mau. E como argumento de seu erro, citam o Apóstolo na segunda Carta aos Coríntios: “O deus deste século cegou as mentes dos infiéis” (4, 4). Essa afirmação é de todo impossível. Se coisas diversas se unem em uma, é necessário haver uma causa dessa união, pois as coisas diversas por si mesmas não se unem. Por isso, sempre que há união dessas coisas diversas, é necessário que a união venha de uma causa. Por exemplo, muitos corpos quentes recebem o calor do fogo. Ora, o ser é comum a todas as coisas, embora diversas. Daí ser necessário que haja um único princípio do ser, em virtude do qual tudo o que existe de qualquer modo recebe o ser, quer sejam as coisas invisíveis e espirituais, quer sejam as visíveis e corporais. Ademais, se diz que o diabo é o deus deste século, não porque o tenha criado, mas porque os que vivem mundanamente o servem, segundo o modo de falar que também é do Apóstolo, na Carta aos Filipenses: “Deles, deus é o ventre” (3, 19).

Quanto às objeções iniciais, portanto, deve-se dizer que:

1. Todas as criaturas de Deus, de certo modo, perseveram para sempre, ao menos quanto à matéria, porque jamais serão reduzidas ao nada, embora corruptíveis. Mas quanto mais as criaturas se aproximam de Deus, que é totalmente imutável, tanto mais são imutáveis. Ora, as criaturas corruptíveis permanecem para sempre segundo a matéria, mas se modificam segundo a forma substancial. As criaturas incorruptíveis permanecem segundo a substância, porém mudam segundo outros aspectos, como, por exemplo, os corpos celestes segundo o lugar, as criaturas espirituais segundo as afeições. Afirma o Apóstolo: “As coisas visíveis são temporais”. Embora isso seja verdade, consideradas as coisas em si mesmas, na medida em que toda criatura visível está submetida ao tempo, ou segundo o seu ser, ou segundo o seu movimento, não obstante, o Apóstolo pretende falar das coisas visíveis enquanto são prêmios para os homens. Pois os prêmios que estão nessas coisas visíveis desaparecem no tempo, mas os que estão nas coisas invisíveis permanecem para sempre. Por isso, o Apóstolo havia dito: “Uma atração de glória eterna atua em nós”.

2. A criatura corporal, segundo a natureza, é boa, mas não se trata do bem universal, mas de um bem particular e limitado. E dessa particularidade e limitação resulta nas criaturas a contrariedade, pela qual um bem se opõe a outro, embora sejam um e outro em si bons. Alguns, porém considerando as coisas não por sua natureza, mas pelo que lhes proporcionam, julgam de modo absoluto más aquelas que lhes são nocivas, sem considerar que o que é nocivo em algo para um pode ser útil para outro, ou para eles mesmos, sob outro aspecto. Mas isso não aconteceria se em si mesmos os corpos fossem maus e nocivos.

3. As criaturas, por si mesmas, não afastam de Deus, mas levam a ele, porque, como se diz na Carta aos Romanos: “As coisas invisíveis de Deus conhecidas por aquelas que foram criadas, tornaram-se visíveis” (1, 20). Afastar de Deus procede da culpa daqueles que as usam sem critério. Daí estar escrito no livro da Sabedoria: “As criaturas tornaram-se um perigo para os pés dos insensatos” (14, 11). E, pelo fato de afastar de Deus, comprova-se que vieram de Deus. Se, pois, afastam os insensatos de Deus, é porque os atraem por algo bom nelas existente, o que têm de Deus.

Fonte: ST I, 65, 1

Anúncios

One Response to Tomás responde: A criatura corporal foi criada por Deus?

  1. andressa says:

    e essas criaturas de Deus é uma obra de Deus abençoadas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: